quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

O Dia do Fico


Em 09 de janeiro de 1822, ano da Independência, o filho do Rei de Portugal que estava no Brasil como Príncipe Regente, declara em alto e bom som: "Se é para o bem de todos, e para a felicidade geral da Nação, estou pronto! Diga ao povo que eu fico!" Era um dos dias mais importantes para a História do nosso país. Era o dia em que começava a surgir, mais evidentemente, a trilha da Independência.

É notório que qualquer país grande e de primeiro mundo atualmente, conheça e respeite a sua História. Em países como os Estados Unidos, a maior parte dos cidadãos conhecem seu passado, suas personalidades históricas, seus ex presidentes, sua Constituição e mesmo Emendas Constitucionais. A máxima é simples: só se ama o que se conhece. É por isso que costumamos encontrar facilmente brasileiros que não amam o Brasil. Ou ao menos, não a sua História.

Pedir para um brasileiro (ainda que com ensino superior completo, o que ainda é raro), discorra um pouco sobre a História do Brasil desde a época que antecede a independência, é "dar com os burros n'água". Não obteremos respostas satisfatórias. Às vezes nem com nossos Professores de História.

No nosso país, o apego e respeito pelas tradições, pelos seus homens públicos (ainda que sejam os antigos, porque os de hoje não são exemplos para nada), pelos seus símbolos nacionais, são muito aquém de um mínimo esperado de um povo... de uma sociedade. Quantos cantam o hino corretamente? Quanto sequer, respeitam o momento em que o hino está tocando? Essa semana mesmo, fui a uma colação de grau e na hora de entoar o Hino, havia um casal conversando próximo a mim, e só cantavam no famoso "Entre outras mil, és tu Brasil..."

O Dia do Fico, geralmente como outros fatos do século XIX, parece não ter importância alguma para os professores de História e, muito menos, para os alunos. Se a escola entoa o Hino uma vez por semana, o aluno só gosta porque é um tempo a menos da aula daquele professor chato.

Fato é que, em 09 de janeiro de 1822, um português de sangue, mas brasileiro por escolha, declarou aos brasileiros e à Corte Portuguesa, que ficaria no Brasil. Adotou a causa dos brasileiros e soube renunciar ao trono quando o momento exigia. Sem grandes guerras, declarou a Independência e assinou sua abdicação.

O Brasil merece conhecer mais sobre um dos mais importantes homens que o país já teve:
D. Pedro I.

Enfim... não se ama, o que não se conhece!

3 comentários:

  1. Bom texto, mas poderia ter falado um pouco mais do Dia do Fico! Concordo plenamente com a frase final, não se ama aquilo que não se conhece!

    ResponderExcluir
  2. saudação a casa imperial esta em festa nosso príncipe faz aniversario o brasil tem esta oportunidade e caminho viável de um futuro com uma autoridade de verdade não oportunista ladrões que querem enriquecer imediatamente pois no futuro o poder sara de outros vossa reverendíssima alteza o príncipe dom Bertrand esta fazendo aniversario

    ResponderExcluir
  3. Nem respeitam mais o 7 de setembro, é apenas uma festa comum, se perguntarem a alguém o que se comemora nesse dia provavelmente a maioria não saberá responder. Ano passado em minha cidade nem o hino do Independência tocaram. Viva a Monarquia!

    ResponderExcluir